Os Pilares do Novo Diálogo:

O novo diálogo tem alguns pilares fundamentais. É uma ferramenta séria e importantíssima para convivência e deve ser usada com responsabilidade e comprometimento.

 

O terapeuta

O terapeuta é o guardião desse espaço do sentir. É um profissional treinado que vai te ajudar a resolver suas questões. Desmontar a parede. Olhar e analisar, com você, cada um dos tijolos e te mostrar que não se faz mais necessários muros.

“A diferença nos torna indispensáveis”

Renato Zurlini

Criador do Dialoguismo, Terapeuta, Mediador Transformativo Reflexivo, Facilitador de Processos Circulares, Hipnoterapeuta e professor na Faculdade Belas Artes, graduado em Administração de Empresas com ênfase em Recursos Humanos, especialista em Publicidade, Direção de Arte e Comunicação em Mídias Digitais pela ESPM, acumula 25 anos de experiência na área de administração de empresas e mais de 18 anos no planejamento e criação de campanhas para empresas como Fiat, Kellog’s, BankBoston, Sagatiba, Delta Airlines, CVV, entre outras. Desde que atua no Primeiros Diálogos, acumula mais de 1000 horas de atendimento a indivíduos e coletivos.

ONDE USAR

O Diálogo é perfeito! Cura a vida! Esse remédio é indicado para todas as pessoas que buscam conexão com os outros, consigo e com o seu universo. Sem restrições de idade!

Indivíduo

Dialoguismo:
É uma linha de terapia breve, fundamentada na Medição de Conflitos e estudos autorais. É um novo método que ajuda o indivíduo a entender e mudar seu comportamento diante dos tantos dilemas da vida ou até mesmo questões pontuais como: decisões profissionais, crises de idades, relacionamentos pessoais, o propósito da vida, contextos e questões familiares, crises de identidade, mudança de valores e por aí vai.

Coletivos

Diálogos Circulares:
O processo circular de construção de consenso é uma metodologia baseada na conexão entre pessoas que pode ser usada em âmbito familiar, escolar, empresarial ou em qualquer tipo de coletivos. Nesse espaço todos ganham o direito a fala e a escuta. E nesse processo, o facilitador conduz os envolvidos a reconhecerem suas próprias histórias na fala do outro, estimulando os pontos convergentes das partes envolvidas para estabelecer entendimento mutuo e fortalecimento entre as relações e, quando menos esperam, os indivíduos envolvidos veem suas necessidades e desejos atendidos e aceito por todos. Consenso, comprometimento e verdade.